Carolina Ferraz e Maitê Proença movem ação trabalhista contra a TV Globo

Categories: NotíciasPublished On: 10 de junho de 2022

Tempo de Leitura: 4 minutos

COMPARTILHE

Em 2016, Carolina Ferraz e Maitê Proença foram demitidas pela TV Globo, onde trabalhavam juntas. Assim, em 2018, uniram-se contra a antiga empregadora em busca dos seus direitos na Justiça do Trabalho, mas os casos seguem parados desde 2020.

atrizes da globo

Maitê Proença pediu a indenização de R$ 500 mil em busca de direitos trabalhistas e do vínculo empregatício. O contrato da artista era por PJ (Pessoa Jurídica) e não CLT (consolidação das Leis do Trabalho). Carolina foi testemunha de defesa de Maitê na ação.

“Foi muito estranho, não tive nenhum aviso. Quando começaram os boatos de que eu já tinha sido dispensada, liguei para a pessoa que tinha me dito que o contrato seria renovado, e ela me falou que, de fato, ia ser descontinuado”, diz Proença.

No mesmo período, Carolina também entrou com uma ação trabalhista contra a emissora pedindo reconhecimento empregatício.

“A depoente estima que firmou cerca de oito contratos por meio de sua pessoa jurídica, sendo que acredita que todos foram sucessivos, não se lembrando se pode ter ocorrido um lapso temporal pequeno entre eles; que para a contratação da depoente era exigida a intermediação de pessoa jurídica”, conforme consta no processo de Carolina Ferraz, a qual afirmou que no seu caso foi obrigada pela Globo a assinar contrato fora da carteira de trabalho.

Ferraz revelou ainda que tinha uma rotina pesada, chegando até a interromper a participação em uma peça de teatro em seu terceiro mês para fazer uma novela.

Carolina Ferraz pede uma indenização de R$ 7 milhões e a ação trabalhista está parada desde 2020. Neste período, ela fechou um contrato com a Record e, atualmente, é apresentadora do Domingo Espetacular.

Sobre a Justiça do Trabalho:

Segundo dados do Relatório Justiça em Números, do Conselho Nacional de Justiça, uma ação trabalhista leva em média quatro anos para ser finalizada no Brasil.

De janeiro a junho de 2021, houve um aumento de 30% no volume de novas ações na Justiça do Trabalho. Ou seja, o número é quase 30% maior do que o mesmo período de 2020.

Além do home office, o desemprego favoreceu o aumento de processos, porque muita gente foi demitida sem receber os direitos, afirmou o coordenador jurídico da LG&P Advocacia, André Oliveira Moraes.

A boa notícia é que existem empresas que antecipam o valor do crédito da ação judicial que é o caso da Pro Solutti: somos especialista na compra de ação trabalhista.

Nesses quatro anos de mercado, já ajudamos mais de 1.500 reclamantes e seus advogados por meio da antecipação do crédito e dos honorários advocatícios.

Quer saber mais sobre a Pro Solutti e a antecipação do valor da ação judicial trabalhista? Envie um e-mail para contato@prosolutti.com

PRO SOLUTTI NA MÍDIA